Museu da Guarda

Exposições Temporárias

Museu da Guarda

Exposição Santa Rita Pintor

Guilherme Augusto Cau da Costa de Santa Rita ou Guilherme de Santa Rita, mais tarde passaria a chamar-se apenas Santa-Rita Pintor (1889 – 1918).

Figura mítica da primeira geração de pintores modernistas portugueses, a sua obra permanece em grande parte envolta em mistério. Nunca expôs em Portugal, mas esteve vários anos em Paris garantindo, com Amadeo de Souza-Cardoso, a primeira ligação efetiva às vanguardas históricas do início do século XX. Foi o mais ativo impulsionador do breve movimento futurista português. Morreu prematuramente, antes mesmo de completar 29 anos de idade, vitimado por tuberculose pulmonar, deixando ordem expressa para que todos os seus trabalhos fossem queimados.

Habitar a obra, de Helena Almeida

De 27 de outubro de 2020 a 24 de janeiro de 2021 

 

A minha obra é o meu corpo, o meu corpo é a minha obra” – Helena Almeida.

Habitar a Obra [obras da Coleção de Serralves], de Helena Almeida foi a exposição que esteve patente no Museu da Guarda.

Nota Biográfica – Helena Almeida

 

(Lisboa, 1934-2018), artista portuguesa consagrada internacionalmente pelo seu percurso singular, usa o seu corpo como extensão do desenho, da pintura e da fotografia. A artista delineia meticulosamente uma coreografia na composição das suas obras em estudos e desenhos preparatórios que evidenciam a sua utilização da cor e do corpo, de que é exemplo a obra Sem título (1994-95), uma peça especificamente produzida para a exposição da artista na Casa de Serralves, em 1995, que assume uma posição de destaque na presente mostra no Museu da Guarda.

150 anos com AUGUSTO GIL (Mostra expositiva do acervo de Augusto Gil)

De 30 de julho de 2020 a 22 de janeiro de 2021



Cres(Ser), de Catarina Flor

De 3 de dezembro de 2020 a 22 de janeiro de 2021

 

 

Estão patentes no Museu da Guarda, do dia 3 de dezembro de 2020 a 22 de janeiro de 2021, as exposições “EXPERIÊNCIA INTERATIVA com a obra artística”, de Nuno Aparício e “Cres(Ser)”, de Catarina Flor. Estas exposições surgiram no âmbito dos programas BOLSEI-ARTE (promovido pelo Aquilo Teatro CRL e a empresa 02S – Engenharia e Construção, Lda,) e Incentiv[ART] – Incubadora de projetos artísticos (implementado pelo Município da Guarda), programas de apoio dirigidos a artistas e criadores emergentes, naturais do Concelho da Guarda.

 

Nota Biográfica – Catarina Flor

 

Nascida na Guarda em 1995, licenciada em Artes plásticas e Multimédia, pós-graduada em Ilustração, mostra desde criança uma paixão pela arte e pela vida. Autodenomina-se Catarina Florescendo porque sente uma vontade constante de desenvolvimento pessoal e criativo. Alimentada pela curiosidade sobre o que é Ser e Viver, alinhada a uma sensibilidade pela natureza humana em comunhão com o mundo, faz das suas ilustrações o caminho para se expressar.

EXPERIÊNCIA INTERATIVA com a obra artística, de Nuno Aparício

De 3 de dezembro de 2020 a 22 de janeiro de 2021

 

Estão patentes no Museu da Guarda, do dia 3 de dezembro de 2020 a 22 de janeiro de 2021, as exposições “EXPERIÊNCIA INTERATIVA com a obra artística”, de Nuno Aparício e “Cres(Ser)”, de Catarina Flor. Estas exposições surgiram no âmbito dos programas BOLSEI-ARTE (promovido pelo Aquilo Teatro CRL e a empresa 02S – Engenharia e Construção, Lda,) e Incentiv[ART] – Incubadora de projetos artísticos (implementado pelo Município da Guarda), programas de apoio dirigidos a artistas e criadores emergentes, naturais do Concelho da Guarda.

 

Nota Biográfica – Nuno Aparício

 

Nasceu em 1997, na cidade da Guarda. Seguiu um percurso académico sempre ligado à estética e às artes gráficas (licenciatura, mestrado e aluno de doutoramento), tendo mais tarde unido esse gosto à pintura. Pintando desde cedo como autodidata, encarou a pintura como refúgio da agitação do mundo, utilizando-a como ferramenta de autoconhecimento e de aproximação ao seu “eu” interior. Passando por uma fase de surrealismo monocromático, passa para a criação de obras carregadas de simbolismo através da exploração de ilusões de tridimensionalidade. Problemáticas da sociedade contemporânea e a análise autobiográfica estão no cerne das suas temáticas.